Quem sou eu

Minha foto
Upanema, RN, Brazil
ENGENHEIRO AGRÔNOMO

domingo, 4 de setembro de 2011

Pequeno Conto - Passo Preto

As histórias que ficam na minha memória sempre tem personagens originais e depende também dos bons contadores de história. Um deles é Neguinho (Jonh Kennedy) que tem um repertório variado e uma ótima desenvolvura na hora de soltar o enredo.

Pois bem, a história de hoje, foi contada por Neguinho e envolve um personagem por demais conhecido em Upanema e que já não está entre nós. Falo daquele que era conhecido por Passo Preto (in memória) a quem fazemos uma homenagem pelos seus vastos episódios engraçados e divertidos.

Estava Passo Preto, na juventude, numa farra em Upanema com outros amigos e como passava bastante de meia noite, até mesmo o som do violão e da cantarola chamou a atenção do delegado local.

O delegado se aproximou da farra oberservou o grupo e não teve dúvidas

Senhores eu sinto muito mas a esta hora da noite não é permitida essa barulheira, portanto, a farra está encerrada e para não correr o risco de retorno vou confiscar o violão e só devolvo amanhã. Falou o delegado.

Passo Preto, que sempre foi marrento e questionador, aproveitou a certa distância do delegado e falava repetidamente e com firmeza ao ouvido daquele que portava o violão:

Jaime não dê! Jaime não dê! Jaime não dê!

O delegado se aproximou e com "ar" de autoridade máxima perguntou:

O que voce tá dizendo Passo Preto

Passo Preto não teve dúvida se levaria a questão a diante e retruncou:

JAIME DÊ!

3 comentários:

  1. Muito boa a história. Conte outras do gênero.

    ResponderExcluir
  2. E por falar em Passo Preto, (que por sinal) era um legítimo Mendonça... Me veio a lembrança de uma das suas passagens.
    Quando era garoto, o minino Passo Preto era muito astucioso e foi criado junto com seu primo Venceslau, que era chamado de 'Cerlau'. O Passo Preto era impossível, daqueles que só se sentia bem se estivesse puxando arenga com um e com outro. E quando o Passo Preto arengava com Cerlau, ele o chamava de "Dente de Jirmum", (Isso porque Venceslau quando era pequeno não gostava de escovar os dentes e por isso mesmo os seus dentes eram amarelados). E aí quando Passo Preto chamava Cerlau de 'dente de Jirmum', Venceslau partia pra cima do Passo metia-lhe o murro na cara. Era o Passo Preto apanhando e chamando cada vez mais, seu primo de Dente de Jirmum.
    Assina:. Ferreira.

    ResponderExcluir